Buscar
  • TvUp

PF apura se há irregularidades em documentações da barragem de Brumadinho, diz delegado.



A Polícia Federal (PF) está apurando se são regulares todos os pareceres que indicavam segurança da barragem da mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte. A informação foi confirmada pelo delegado responsável pela investigação, Luiz Augusto Pessoa Nogueira.

O rompimento da barragem da mineradora Vale gerou uma onda de lama de rejeitos de mineração sobre a área rural do município mineiro.

No sábado (26), a Polícia Federal entrou no caso com a justificativa de que o governo considera o risco de contaminação do Rio São Francisco por conta do avanço do mar de rejeitos de Brumadinho. Até então, as investigações estavam restritas à Polícia Civil de Minas Gerais.

Por telefone, o delegado da PF responsável pelo caso afirmou que a corporação está apurando toda a documentação da barragem da Vale e da empresa que fazia os laudos sobre a segurança da estrutura de depósito de rejeitos.

"Estamos apurando a legalidade desta documentação. Em casos como esse, temos a informação de que são as empresas [neste caso, a Vale] que fornecem a documentação. Ou seja: segundo as informações que temos, elas contratam uma empresa terceirizada, que faz as análises de segurança e apresenta o laudo dizendo que tá tudo bem ou não", explicou o delegado da PF.

"A nossa linha de investigação é apurar se esses documentos foram feitos dentro da legalidade", complementou Pessoa Nogueira.

Reservadamente, investigadores envolvidos no inquérito suspeitam que possa haver fraude na documentação, que apontava que a barragem que rompeu na sexta-feira era segura. A apuração é feita com esse foco para saber se essa hipótese vai se confirmar a partir da análise de documentos.

Luiz Augusto Pessoa Nogueira diz que há um trabalho conjunto neste sentido. "A gente está trabalhando com o Ministério Público estadual e o Ministério Público Federal e demais polícias para acelerar as investigações e fazer uma apuração conjunta , recolhendo muitas provas", disse o delegado da Polícia Federal.

O próximo passo dos investigadores será ouvir executivos da Vale. Os depoimentos devem ocorrer ao longo desta semana.

Executivos da Vale

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, afirmou nesta segunda-feira (28), em São Paulo, que o Ministério Público Federal formou uma força-tarefa em Minas Gerais para investigar os danos ambientais e as responsabilidades penal, cível e administrativa do rompimento da barragem de Brumadinho.

Segundo a procuradora-geral, executivos da mineradora Vale podem ser responsabilizados.

"É preciso ter uma responsabilidade séria do ponto de vista indenizatório da empresa que deu causa a este desastre e também promover a persecução penal de pessoas e indivíduos, que precisam ser responsabilizados por esta falha", ponderou a chefe do Ministério Público.

FONTE: TV Globo — Brasília.