Buscar
  • TV UP

OMS amplia risco do coronavírus a muito elevado, com mais países ameaçados


Diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, durante entrevista coletiva em Genebra

Em um recado político, a Organização Mundial da Saúde (OMS) elevou o risco global sobre o coronavírus para "muito elevado", equiparando a avaliação internacional ao cenário já existente na China desde janeiro. Nesta sexta-feira, a entidade deixou claro que o vírus "continua a aumentar" e que existe a possibilidade de que novos países sejam afetados.

A mudança na classificação é um alerta enfático emitido pela OMS aos governos. "Acordem", disse o chefe da operação da agência, Michael Ryan. Segundo ele, a constatação é de que os sistemas de saúde pelo mundo "não estão prontos" para lidar com a chegada do vírus e que o novo alerta emitido nesta sexta-feira em Genebra é uma tentativa de conscientizar governos e sociedades.

Após o surto registrado na Itália, o vírus já ganhou 14 países diferentes. No caso do Irã, a expansão foi para onze países. Desde ontem, cinco novos países registraram os primeiros casos, todos eles importados da Itália. "O contínuo aumento de novos países é claramente de preocupação", admitiu o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus. No total, os casos foram registrados em 49 países, com 67 mortes fora da China. No país asiático, o número de novos casos foi de 329 entre quinta-feira e sexta-feira, o menor aumento em um mês.

No total, são 78,9 mil casos na China, com 2,7 mil mortes. Apesar da mudança na avaliação do risco, a OMS insiste que não está ainda no momento de se declarar uma pandemia. Um dos motivos seria o fato de que não há uma forte transmissão nas comunidades para onde esses vírus chegaram. "O maior inimigo não é vírus. É o medo, rumor e estigma", disse Tedros. "Nosso maior ativo é de fato e solidariedade", afirmou.


Fonte: UOL Notícias