Buscar
  • TV UP

Solidariedade: Em meio a crise, atos de bondade estreitam laços.


Partida de futebol entre soldados ingleses durante a Primeira Guerra, na famosa Trégua de Natal (Foto: Reprodução / UEFA).

Em tempos de isolamento social e medidas restritivas para impedir a disseminação do coronavírus, atos de solidariedade estreitam laços entre vizinhos da comunidade de Umuarama. [ações de bondade vêm sendo registrados em todo o país].

Nas redes sociais, várias pessoas estão se oferecendo para realizar serviços gratuitos aos idosos, como ir ao mercado, farmácia, padarias e afins, lugares que oferecem risco às pessoas do grupo mais frágil à doença.

Imagem mostra cartaz colado em porta de elevador em prédio residencial de Umuarama

Em alguns condomínios, os moradores estão deixando recados em áreas comuns e bilhetes em baixo das portas a fim de ajudar os habitantes da terceira idade, como é o caso do Flávio Martins, que se dispôs a fazer compra para os idosos.

"Devido a crise do covid19, escutei nos meios de comunicações sobre o fato das pessoas idosas estarem no grupo  de risco e penso que esse é um momento para união. 

Tenho minha avó materna e meu avô paterno vivos, ambos com mais de 85 anos, e ficaria muito grato se alguém pudesse fazer algo assim onde eles moram."-relatou Flávio


Moradores de cidades vizinhas também estão se solidarizando com as dificuldades enfrentadas em meio a pandemia, em Goioerê as pessoas estão deixando donativos em caixas em frente a Igreja Matriz da cidade, para que outros com dificuldade financeira, possam se alimentar. Mas vale lembrar que as doações são apenas para quem necessita e está proibido o consumo em excesso desses donativos.

Caixotes colocados em frente a Igreja Matriz de Goioerê para ajudar mais necessitados

Além dos atos de bondade realizados pela população da capital da amizade e de vários outros lugares, muitos moradores estão escrevendo bilhetes para os servidores públicos que são responsáveis pela coleta de lixo, são agradecimentos aos trabalhadores por estarem ativos enquanto a maioria está em quarentena. Carlos Eduardo, um dos trabalhadores, disse em sua rede social como se sente feliz e gratificado pelo reconhecimento ao seu trabalho: “Em meio a tantos problemas com essa epidemia, saber que estão orando por nós e recebendo tantos elogios, não tem preço!"-disse


Recado deixado por moradores a servidores públicos responsáveis pela coleta de lixo
Foto: Postagem de David Rhãmandy em uma rede social

Não é de hoje que grandes problemas trazem ao mesmo tempo mais empatia e harmonia entre as pessoas. 

Na  primeira guerra mundial por exemplo, aconteceu um fato que ficou marcado na história. 

Durante guerra, no fim do ano, o inverno se intensificou e com isso, os soldados retrocederam para suas posições. Às vésperas do Natal, alguns soldados estavam em clima festivo, fumando, bebendo e comendo, sem se importarem em serem vistos pelos inimigos. 

Esse ato inicialmente isolado, acabou "contagiando" os envolvidos no conflito, desde os soldados de frente, na linha de combate, até os oficiais de alta patente. Por fim, os soldados passaram a sair das suas áreas, das suas trincheiras e foram até a trincheira dos rivais de guerra para desejar Feliz Natal, trocando comidas e charutos. Esse ato ficou conhecido como Trégua de Natal.

É o que podemos observar hoje em dia, com todo esse caos devido a pandemia, tem país ajudando outras nações, pessoas cantando para os vizinhos, rezando, torcendo, instituições disponibilizando até mesmo cursos gratuitos para ajudar a passar o tempo. É em momentos assim, que vemos que ninguém é mais que ninguém e que a vida é frágil. Depois que tudo passar, vale lembrar o quanto podemos e devemos ajudar um ao outro.